Mandacaru,

Por onde passou Lampião?

Que ele foi um dos homens mais temidos e ao mesmo tempo mais amado, mais cruel e mais fiel e a maior liderança de um grupo de cangaceiros já existente no país, não temos dúvida. Mas você já parou para pensar no vasto caminho que o cangaceiro percorreu sertão afora, levando glórias e desgraças a diversas cidades?

O Rei do Cangaço foi Virgulino Ferreira da Silva, conhecido por Lampião. A criança nascida provavelmente em 4 de junho de 1893 se tornou um dos maiores ícones do sertão nordestino. Durante toda a sua vida, Lampião lidou com confrontos, desde novo que sua família travava disputas com outras famílias locais, na maioria das vezes por limite de terras.

Após a morte de seu pai em combate com a polícia, em 1919, Virgulino jurou vingança, se juntou com mais dois irmãos e passou a integrar o grupo de cangaceiros Sinhô Pereira,formando mais tarde o grupo que liderava. O seu grupo nunca passava de 50 homens, todos a cavalo e em trajes de couro (chapéu, sandálias ou botas, casacos, cintos de munição e calças que os protegiam dos espinhos dos arbustos).

Muitas vezes o cangaceiro foi tido como o Hobin Hood do sertão, já que algumas vezes teria roubado de coronéis, fazendeiros e políticos para dar aos pobres miseráveis. Já em outras ocasiões o homem era absurdamente temido, já que inúmeras vezes abusou de mulheres e até de inimigos junto com seu grupo.

Em 1930, pela primeira vez uma mulher se juntou a um grupo de cangaceiros. Antes de Lampião conhecer Maria Gomes de Oliveira (Maria Bonita) era proibida a participação de mulheres no grupo. A então namorada de Lampião abandonou o marido e fugiu com o grupo, tendo dois anos após o encontro com o cangaceiro uma filha, Expedita Ferreira, que foi deixada com uma família que pudesse cria-la.

Em 28 de Julho de 1938, Lampião morreu (aos 40 anos), após emboscada dos policiais do Tenente João Bezerra e do Sargento Aniceto Rodrigues da Silva, enquanto ele e seu grupo estavam se preparando para sair da Fazenda Angicos, em Poço Redondo, Sergipe.

Para entender mais sobre os caminhos trilhados por Lampião, confira no infográfico os locais por onde passou o Rei do Cangaço.

Fatos:

Serra Talhada – PE: Nasce Virgulino Ferreira da Silva Lampião, no sítio Passagem das Pedras. Em 1925, Lampião entra em combate na Fazenda Xique-Xique. Em 1926 Lampião ataca a fazenda Serra Vermelha. Eem 25 de novembro de 1926, Lampião sequestra o viajante Mineiro Dias e vai até a Serra Grande, onde acontece o maior combate entre cangaceiros e a polícia.

Água Branca – AL: Primeiro assalto como líder de um grupo, em 1922.

São José do Belmonte – PE: Invasão de São José do Belmonte (PE) onde Lampião matou o rico comerciante e chefe político, coronel Luiz Gonzaga Lopes Ferraz a pedido de “Yoyô Maroto”, parente de “Sinhô Pereira”, 1922. Em 1924 o cangaceiro volta combate na Serra do Catolé, onde sofre grave ferimento no pé e é levado para Triunfo – PE para se tratar.

Floresta – PE: Lampião vai de surpresa ao casamento de sua prima e primeiro amor, em Nazaré de Pico com o intuito de acabar o casamento, mas desiste e ordena que ninguém dance naquele povoado, em 31 de julho de 1923. Em 12 de agosto do mesmo ano e na mesma cidade, se inicia um combate entre o grupo de Lampião e os nazarenos, na Serra do Pico. Em 1926, houve combate entre Lampião com 60 cangaceiros e a força volante do tenente Optato Gueiros com 35 soldados, na fazenda Caraíbas. No mesmo ano Lampião aproveita e ataca Nazaré do Pico com 50 homens. Em 11 de novembro de 1926, acontece combate na fazenda Favela, entre Lampião e a força volante comandada pelo cabo Manoel de Souza Neto e o sargento Zé Saturnino.

Santa Cruz da Baixa Verde – PE: Lampião invade o local para matar seu ex-amigo Clementino Quelé, em 5 de janeiro de 1924, mas não consegue. Em 11 de janeiro ele torna a atacar o local e repelido por Quelé.

Mirandiba – PE: Lampião ataca o povoado de Tupanaci, onde encontrava-se um pequeno grupo de cangaceiros comandados por Tibúrcio Severino dos Santos, vulgo Nego Tibúrcio odiado por Lampião, que entra em combate e mata Tibúrcio e seus homens, partindo o cangaceiro em vários pedaços e jogando o corpo no meio da rua.

Custódia – PE: Lampião entra pacificamente na cidade.

Tabira – PE: Lampião tenta entrar pacificamente na vila de Espírito Santo, (onde hoje está o município de Tabira) para visitar seu primo Herculano Ferreira, mas foi surpreendido por um ataque da Família Gomes dos Santos, importante família do pajeú daquela época.

Flores – PE: Lampião ataca a fazenda Melancia, onde o proprietário Zé Calu é violentado pelo grupo.

Juazeiro do Norte – CE: Lampião recebe a patente de capitão do Exército Patriótico de Padre Cícero. O cangaceiro muito respeito e devoção ao padre e foi recebido com festa.

Cabrobró, Ouricuri e Parnamirim – PE: Lampião atacou as cidades em 3 de julho de 1926. Em 2 de setembro do mesmo ano Lampiâo ataca novamente a cidade Cabrobró. E em 6 de setembro Lampião ataca a Fazenda Saco do Martinho, de propriedade do Tenente Coronel Martinho da Costa Agra, em Parnamirim.

Itacuruba – PE: Combate na fazenda Tigre entre Lampião e o cabo Francisco Liberato.

Uraúna – PB: Lampião tenta entrar na cidade com 35 homens, sendo repelidos pela força policial comandada pelo tenente Nelson Furtado Leite.

Mossoró – RN: Lampião ataca a cidade em 1927.

Limoeiro do Norte – CE: Lampião, em fuga do combate de Mossoró, sequestra a senhora Maria Rocha e o senhor Antônio Gurgel, pedindo 80 contos de réis. Para isso ele vai até a cidade sendo recebido pacificamente pelo juiz Custódio Saraiva.

Jaguaribara – CE: Combate entre Lampião e a Força Volante na Serra da Micaela.

Milagres e Aurora – CE: Lampião, em fuga de Mossoró, passa um bom tempo na Serra do Coxá em Milagres. Depois de alguns dias saiu e foi para a casa de Zé Cardoso na fazenda Ipueiras, em Aurora, onde era coito de seu velho amigo Isaías Arruda.

Bonfim – BA: Houve pequeno combate com a força do tenente Manoel Neto, em 1928.

Carira – SE: Lampião entra pacificamente na cidade.

Nossa Senhora das Dores e Capela – SE: Lampião entra em Nossa Senhora das Dores – SE e vai de carro até a cidade de Capela – SE, onde assiste a um filme no cinema e recolhe dinheiro com os comerciantes locais.

Queimadas – BA: assaltou a casa de João Lantyer de Araújo Cajahyba, cortou os fios do telégrafo e sequestrou os telegrafistas Joaquim Cavalcante e Manoel Evangelista, pelos quais recebeu o resgate de 500 mil réis. Depois, foi até a cadeia e prendeu o sargento Evaristo Costa e outros 7 soldados, mandando mais tarde os 7 ajoelharem e matou um por um. Foi ao cinema da cidade e depois mandou fazer um baile.

Quijngue – BA: fez um baile e deu dinheiro para o povo, em 1929.

Mirandela – BA: Lampião ataca a cidade, quando a força policial comandada por Francisco Guedes de Assis repele o ataque, travando pequeno combate, em 1929.

Simão Dias – SE: Lampião invadiu casas, saqueou o comércio local e humilhou alguns moradores, levando a morte à esposa do latifundiário Martinho Ferreira Matos, que estava de resguardo quando foi violentada por ele.

Dois meses depois Lampião conhece Maria Bonita, em Paulo Afonso – BA.

Glória – BA: Combate na fazenda Aroeiras entre Lampião e a força volante do tenente Manoel Neto, com 15 soldados. Neste combate acontece episódio épico em um riacho onde Manoel Neto e o famoso cangaceiro Corisco ficam frente a frente.

Canindé – SE: Lampião invade a cidade, violenta várias moças e saqueia o comércio.

Poço Redondo – SE: Em 8 de janeiro de 1932, Lampião encontra-se com 32 cangaceiros na fazenda Maranduba, sendo perseguido pela força do tenente Manoel Neto, com 100 soldados resultando no maior combate de Lampião na Bahia. No dia 27 de julho de 1938 morre Lampião, na fazenda Angicos.

Cipó- BA: Combate entre o bando de Lampião e o tenente Ladislau na fazenda Cajazeira, em agosto de 1932.

Porto da Folha – SE: Nasceu Expedita Ferreira Nunes, filha de Lampião e Maria Bonita, em 13 de setembro de 1937.

Piranhas – AL: Um subgrupo de Lampião, comandado por Corisco e Gato ataca violentamente a cidade com o intuito de resgatar a cangaceira Inacinha, companheira de Gato.

1+
0sem comentários

Escritor

Susana Rebouças, 23 anos. Graduada em Comunicação com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal da Bahia. Jornalista da Flor de Dendê.

Deixe uma resposta

Siga @flordedende